10 verdades sobre construção de marcas

Este é um texto do Ricardo Jordão Magalhães, a BizRevolution (QUEBRA TUDO!!!)e, como sempre, nos faz pensar e sair do quadradinho.  Mas é isso aí, deste quadradinho podemos dizer que nunca nem entramos. Não neste!

Leia, vai ser bom pra você, pra sua empresa, pra sua marca.

9831_1282
“Como documentar a vida real se a vida real está ficando cada vez mais parecida com a ficção?”

Querida(o) Amiga(o),

Houve um tempo em que os marketeiros e publicitários adicionavam atributos e valores a um determinado produto que não tinha nada demais e a malandragem funcionava.

Houve um tempo em que todo mundo assistia ao mesmo programa de televisão, escutava o mesmo programa de rádio ou lia a mesma revista.

Houve um tempo em que as empresas diziam aos consumidores o que eles tinham que pensar, acreditar, vestir, comer, aprender e usar.

Houve um tempo em que esses consumidores sentavam na frente da televisão e a única coisa que faziam era assistir televisão.

Houve um tempo em que 80% dos moradores de um mesmo condomínio compartilhavam as mesmas opiniões e mesmos pontos de vista sobre as mesmas coisas.

Houve um tempo em que a consumidiora comprava o sabonete Lux Luxo porque nove em cada dez atrizes de Hollywood usavam Lux Luxo. Hoje, as novas consumidoras querem comprar justamente aquele sabonete que é usado pela única atriz de Hollywood que não usa Lux Luxo.

Houve um tempo em que bastava martelar um único lixo publicitário várias vezes no cabeça de um grupo de zumbis por duas ou três semanas seguidas para virar o rei da cocada preta.

Esses tempos já eram.

Pelo menos para aqueles que tem o mínimo de civilidade, decência, educação, ética e justiça.

A maneira que se constroi marcas hoje em dia faz mal a saúde mental das pessoas. A informação flui de cima para baixo. O modelo estimula somente as grandes empresas. A sociedade em si se prejudica porque aparentemente existem muito poucos modelos de civilização, poucas opções, poucas escolhas.

As minhas idéias sobre construção de marcas não são para as grandes empresas. Eu quero mais que as grandes empresas continuem a torrar suas verbas de propaganda até acabar em suas campanhas publicitárias terríveis com suas agências medíocres. Vide a nova campanha da BRF ou BFR ou RFB sei lá (o nome é terrível), a tal da mega empresa que nasceu da junção da Sadia e Perdigão, e que teve a coragem de torrar alguns milhões de reais semanas atrás para simplesmente dizer “BRF, um mundo com mais sabor”. Ridículo! Alguém aqui vai comprar mais salsicha da Sadia porque a empresa mudou de nome e agora declara que “o mundo vai ter mais sabor porque eles existem?” Blá! O meu mundo já tem mais sabor faz tempo. A comida feita na minha casa é infinitamente superior a qualquer coisa que sai da fábrica deles.

As minhas idéias de construção de marca são para as pequenas empresas empreendedoras desse nosso brasilzão. As minhas idéias são para os pequenas empresas que acreditam que tem um produto ou serviço show de bola a oferecer e realmente acreditam que as pessoas precisam conhecer a sua maneira maneira ética, honesta e transparente de trabalhar.

Houve um tempo em que a construção de uma marca era uma possibilidade das grandes empresas e grandes verbas.

Esse tempo já era.

AS MARCAS ESTÃO MORTAS! LONGA VIDA AS NOVAS MARCAS!

Eu apresento a vocês 10 Novos Mandamentos para quem tem uma mente aberta a novas idéias sobre construção de marcas, para quem tem disposição para mudar as coisas, para quem se importa em fazer uma revolução que faça sentido para as próximas gerações.

(1) A missão de uma marca é dizer a verdade. A maioria das marcas mente, usa atores e apresentadores de televisão para testemunhar o uso de produtos que nunca usaram na vida, usa efeitos especiais para mostrar o que os produtos não fazem, usam testemunhais com pessoas que não existem. O trabalho de um verdadeiro construtor de marcas é falar a verdade, deletar as imagens falsas que foram colocadas no seu web site mostrando pessoas que não trabalham na empresa, e substituir por imagens de pessoas reais que trabalham na empresa. Novo construtor de marcas usa blogs, fóruns, atualiza a seção de perguntas e respostas frequentes no seu web site com a VERDADE sobre os seus produtos e serviços doe a quem doer. Você não tem que ser perfeito, nem parecer perfeito, muito menos ser perfeito para todos. Concorda?

(2) A missão de uma marca é ser explícita sobre o quê oferece, ser menos sobre sexy marketing, ser mais sobre fatos dados estatísticas, razões que aproximem os produtos da empresa da realidade dos clientes. Concorda?

(3) A missão de uma marca é educar o cliente, fora bulshitismo entra comunicação de conteúdo. Há quanto tempo você fala mal das elites do Brasil porque acredita que elas querem que o povo permaneça imbecil? Se você acredita nisso, faça a sua parte. Enquanto não fizer, compreenda que você é parte dessa elite burra que não mexe uma palha para educar o povo. Por outro lado, enquanto o cliente não entender as necessidades que tem, ele não vai comprar de você. Ou seja, enquanto você não educar o seu cliente, você não vai bater metas de vendas. Concorda?

(4) A Missão de uma marca é matar todos os seus mascotes, Ronald McDonalds , Mickey Mouse como mascote etc. Os mascotes não existem, é tudo mentira. Aquele cara que há décadas faz palhaçada na televisão para vender Bombril trabalha na empresa que fabrica Bombril? O quê as palhaçadas que ele faz na televisão tem a ver com o produto? NADA! Aquela campanha terrível ajuda mesmo a vender Bombril? E mesmo que ajude, tem alguma ética nisso? Tem certeza? Somente quem não pensa, quem não valoriza o dinheiro suado que ganha todos os meses, COMPRA um produto por causa de uma propaganda engraçadinha. Quem tem auto-estima e inteligência o suficiente olha outros fatores além da propaganda bonitinha da televisão.

O uso de mascotes fere qualquer estratégia de marketing de autenticidade. Se você quer ser DE VERDADE, mascotes não tem nada a ver com isso. Se você quer ser ÉTICO, mascotes não tem nada a ver com isso. Entendo que o uso dos bichinhos ajudam a convencer as crianças a comprar, mas, qual é a ética de manipular crianças com o uso de mascotes para que elas possam manipular os pais? MORTE AOS MASCOTES! Concorda?

(5) A Missão de uma marca é se integrar 100% com o processo de vendas da empresa e compras do cliente. 95% das atividades de marketing não tem qualquer integração com as atividades de vendas da empresa. Toda atividade de marketing deve facilitar o processo de compras do cliente, ou ajudar o vendedor a penetrar na conta. Se não fizer isso, não é marketing é lavagem de dinheiro. A MISSÃO DE UM VERDADEIRO CONSTRUTOR DE MARCAS É TRAZER FEEDBACK PARA A EMPRESA. Se não houver integração com Vendas, de onde o marketeiro tira o feedback que ele precisa? Das agências de propaganda que fizeram a campanha na televisão e suas pequisas de recall?? Hahahahaha, tá brincando! Concorda?

(6) A missão de uma marca é construir comunidades que melhoram o mundo, e não comunidades ao redor da própria marca. Todo marketeiro antenado tá afim de montar uma rede social na internet. A BRF mesmo já tá no Twitter com meia dúzia de gatos pingados como seguidores. Mas o ponto é, quem se importa em participar de uma comunidade da BRF além dos investidores da empresa??? Empresas como BRF deveriam estar preocupadas em investir MUITO MAIS DINHEIRO em atividades sociais do que em publicidade. O gasto dessas empresas em atividades sociais é infinitamente menor do que o investimento em propaganda. Se essas empresas REALMENTE investissem na sociedade, a sociedade se lembraria dessas empresas na hora da compra. Eu lembraria. O ponto é que essas empresas não investem o suficiente na sociedade. Tá na hora de mudar isso! As marcas deveriam utilizar a oportunidade da mídia social para criar comunidades que REALMENTE tenham algum efeito prático sobre as comunidades REAIS que já existem. Concorda?

(7) A missão de uma marca é VENDER um serviço e não construir relacionamentos. Quem realmente está afim de ter algum tipo de relacionamento sério com a Coca-Cola? Quem se importa em participar da comunidade do Leite Moça na internet, ou do Ford Ecosport na Orkut? Quem se importa?! EU QUERO COMPRAR UM SERVIÇO PRODIFICADO QUE SE IMPORTA COMIGO e não um produto medíocre mascarado por uma propaganda. Concorda?

(8) A missão de uma marca é usar a internet para resolver os deficiências que tem no mundo real. É simplesmente terrível comprar produtos em 90% das lojas de varejo desse país. O vendedor simplesmente não tem todas as informações sobre os produtos que vende. A loja não tem todos os produtos que deveria ter. Ambos, compradores e vendedores, perdem negócios porque falta informação. Cabe ao varejo, nesse caso, completar a falta de informação que tem na loja com informações eletrônicas. E isso não vale apenas para o varejo, vale para todos. A internet existe para resolver as nossas deficiências. Qual é a sua? Concorda?

(9) A missão de uma marca é reduzir as expectativas dos clientes sobre a marca. Pare de prometer o céu na terra. Baixe a bola. Não siga o exemplo da BRF ou seja lá qual for o nome da empresa, não prometa “um mundo de sabores” porque é simplesmente MENTIRA. Ninguém é capaz de trazer todos os sabores para a mesa de alguém. Baixe a bola, seja verdadeiro, honesto. Nenhum desodorante vai tornar uma mulher mais atrante. Nenhum carro vai atrair mulheres decentes para um homem. O produto que você vende só resolve o problema que foi feito para resolver, e não para acabar com a fome do planeta. Deixe o cliente falar de você, pare de falar de si mesmo. Concorda?

(10) A missão da uma marca é aplicar humanidade aos negócios. A geração Twitter, iPhone e Wii quer as mesmas coisas que os seus avós queriam: SER FELIZES. O ser humano não mudou nada nos últimos 3 mil anos. As novas tecnologias “ainda” não mudaram as pessoas. Entra tecnologia, sai tecnologia, as pessoas querem as mesmas coisas. Tá na hora do mundo dos negócios encontrar uma maneira de misturar as coisas. Concorda?

A construção de marca é uma atividade de responsabilidade social para as pequenas empresas. Ao construir pequenas marcas alternativas a salsicha da Sadia, os pequenos empresários estarão ajudando o mundo a tomar melhores decisões. Ao construir pequenas marcas alternativas aos doces da Nestlé, os pequenos empresários estarão ajudando o país a criar mais empregos. Quem cria emprego são as pequenas empresas, há décadas as grandes não criam empregos. Ao construir pequenas marcas alternativas as ofertas da Casas Bahia, os pequenos empresários estarão ajudando a sua cidade a oferecer melhores serviços e produtos.

Eu quero viver em um mundo com infinitas opções sobre a minha mesa. A informação, o conteúdo, a intelectualidade, a inovação, a ética, a sabedoria e a educação não tem e não deve vir de poucas e boas empresas. CONTRIBUA para que possamos mudar a maneira que a sociedade consome e prospera ao construir a marca da sua pequena empresa.

NADA MENOS QUE ISSO INTERESSA!

QUEBRA TUDO! Foi para isso que eu vim! E Você?

Ricardo Jordão Magalhães
Construtor de Alternativas
E-Mail e Messenger: ricardom@bizrevolution.com.br
Twitter twitter.com/bizrevolution
Linkedin http://www.linkedin.com/in/ricardojordao
BIZREVOLUTION

EU SOU FÃ DO SER HUMANO! E Você?

2 Comments »

  1. marcelo said

    vc fala tudo isso para no final querer vender o seu peixe, a sua consultoria e ainda se intitular com construtor de alternativas, mais uma denominação nova sendo criada, onde vai parar isso… assina com seu twitter, linkedin, email, enfim que se interessa realmente na bizrevolution e seus canais de comunicação??? Estamos cansados de levantadores de bandeiras, ao invés de ficar reclamando aponte soluções palpáveis… Resumindo você com esse discurso está almejando o mesmo que todo mundo no final de deseja, gerar lucro!!!!

    • Olá Marcelo,

      Sinceramente, tentei, tentei, mas não consegui entender seu ponto de vista. Mas como não é porque não entendi que não valorizo.
      Se você puder ser mais claro, talvez a gente possa trocar boas idéias. Até pq a discordância faz a gente repensar as coisas.

      Não sei bem se esta mensagem foi direcionada para o caminho correto. Talvez você queira falar com o pessoal da BizRevolution, site que pegamos esta informação.

      Mas enfim, levando isso pra eles, tenho a certeza que tentarão entender sua indignação e, mais ainda, tentarão ver o que de diferente você contribui para a evolução sem a geração de lucros (qual a vergonha nisso? Pra mim, modestamente, vergonha é gerar prejuízo – seja financeiro, de imagem, de caráter, de honestidade).

      Pelo sim ou pelo não, estamos a disposição!🙂

      Alex Lima

RSS feed for comments on this post · TrackBack URI

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: